04
Nov 14

 

Vencer

 

Para o jogo de logo com o Mónaco o Benfica se quiser continuar a sonhar com a continuidade na champions, terá de vencer o encontro.

Uma derrota arruma de vez o glorioso das competições europeias, por isso, este jogo passa a ser o nosso primeiro mata-mata da competição.

 

EU ACREDITO

 

publicado por aguiavitoria às 11:22

29
Ago 14

 

O sorteio da fase de grupos da Champions League colocou o Benfica no Grupo C com Zenit, Bayer Leverkusen e o Mónaco.

 

 

É um grupo bastante equilibrado, onde todas as equipas têm pretenções de passar esta fase, contudo o Benfica como pertencente ao pote 1 terá obrigatóriamente de se assumir como favorito a passar esta fase.

Pela frente o glorioso vai reencontrar alguns jogadores que já passaram pelo clube assim como pelo nosso campeonato, como são os casos de Garay, Witsel, Javi Garcia, Neto, Hulk ou Danny, peloZenit e Falcao, João Moutinho, Ricardo Carvalho ou Bernardo Silva, pelo Monaco.

Terá ainda de medir forças com os alemães do Bayer Leverkusen que atualmente lideram a Bundesliga.

 

 

Nos restantes grupos, saliento o Grupo E, onde Manchester City, Bayern Munique e Roma lutarão por duas vagas para a fase seguinte.

De resto, deverá imperar a lei do mais forte e Atlético de Madrid, Juventos (Grupo A), Real Madrid, Liverpol (Grupo B), Arsenal, Dortmund (Grupo D), Barcelona, PSG (Grupo F), Chelsea, Schalke 04 (Grupo G), Porto e Shaktar (Grupo H), deverão passar com maior ou menor dificuldade esta fase. 

 

 

 

Chega de desculpas, este ano o Benfica tem de pelo menos passar esta fase.


21
Set 13

Luisão figurou no onze ideal da primeira jornada da Champions.


 

 

Para alguém que já estava velho e acabado.........

As respostas dão-se dentro de campo.

 

 

 É certo que Luisão já não tem 20 anos, mas continua a ser o nosso capitão.

 

 

Parabéns Luisão.

publicado por aguiavitoria às 16:23

14
Dez 11

 

O nosso S.L.Benfica Venceu o Otelul Galati por 1-0, em encontro da 6ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, e garantiu o primeiro lugar do grupo C, com o Basileia no segundo lugar após vencer em casa o Manchester United.

Cardozo foi o autor do único golo da partida, marcado muito cedo, logo aos 8 minutos.

 

 

Um Benfica a jogar a uma velocidade reduzida, garantiu o único objectivo ou seja, a qualificação para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões em primeiro lugar.

Desde 1994/95 que os encarnados não venciam o grupo na Champions e isso é sempre de realçar. Mas fica também a exibição encarnada muito pobre, mas que chegou para derrotar o campeão romeno.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

 

Ao intervalo: 1-0.

 

Resultado final: 1-0.

 

Marcadores:

 

1-0, por Óscar Cardozo, 8 minutos.

 

S.L.Benfica: Artur Moraes, Emerson, Jardel, Ezequiel Garay, Rúben Amorim, Javi García, Axel Witsel, Nicolás Gaitán, Pablo Aimar (Rodrigo, 70), Bruno César (Nolito, 56) e Óscar cardozo (Saviola, 78). 
Suplentes: Eduardo, Saviola, Miguel Vítor, Luís Martins, Matic, Nolito e Rodrigo.

 

Otelul Galati: Branco Grahovac, Râpa, Costin, Perendija, Silviu Ilie (Ljubinkovic, 21), Neagu (Pena, 70), Ioan Filip, Giurgiu, Antal (Frunza, 81), Paraschiv e Iorga.
Suplentes: Branet, Nejc Skubic, Gabriel Viglianti, Ljubinkovic, Frunza, Punosevac e Pena.

 

Árbitro: Manuel Grafe (Alemanha).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Óscar Cardoza (70), Ljubinkovic (82) e Giurgiu (87).

 

 

 

Declarações:

 

Axel Witsel: "Tivemos maior posse de bola, mas não foi fácil para nós. Tivemos dificuldades em meter o último passe e faltou marcar mais golos. Artur? Desde o início da época que nos deu pontos. É por isso que digo que é um guarda-redes soberbo. Esteve muito concentrado todo o jogo, o que nos permitiu não sofrer golos. Para os oitavos-de-final não tenho um adversário preferido. Temos de esperar para ver quais são os jogos, mas as equipas são todas do mesmo nível. Evitar Real Madrid e Barça é importante, nunca se sabe quando se pode ser eliminado".

 

 

Ezequiel Garay: "Não imaginávamos que podíamos terminar em primeiro, mas tivemos mérito o suficiente para consegui-lo. Agora temos de esperar para ver. Estamos surpreendidos porque ficou uma grande equipa de fora (Manchester United), mas ficou demonstrado que qualquer equipa pode vencer outra, na Liga dos Campeões. Na cabeça de todos nós não há nenhuma equipa preferida. Vamos ver quem nos sai, sabendo que será uma eliminatória bonita de se disputar, a duas mãos, em que qualquer um pode ganhar. Nós também estamos capacitados para o fazer. Se faltaram golos? Marcar golos é difícil, joguemos contra quem joguemos é sempre difícil. O Manchester Utd ficou de fora no nosso grupo, o que demonstra isso".

 

 

 

Jorge Jesus: "O objectivo já tinha sido alcançado, mas dada a brilhante campanha que fizemos, tínhamos a possibilidade de ficar em primeiro. Estamos muito satisfeitos. Ficar em primeiro num grupo da Champions é sinal de muito valor. A eliminação do Man Utd mostra a capacidade da equipa do Basileia, que confirmou aquilo que dizíamos, que ia discutir o apuramento até ao fim. Os jogadores estão de parabéns. Agora vamos esperar pelo sorteio".

"Queremos ir até onde nos deixarem. Sabemos que vamos encontrar adversários muito fortes. Acreditamos que temos uma palavra a dizer, eliminatória a eliminatória. Os outros adversários pensam da mesma maneira em relação ao Benfica".
"Este ano somos uma equipa muito mais experiente. Podíamos ter aproveitado uma ou outra saída com mais qualidade, mas não podemos desvalorizar aquilo que o Benfica fez. Não sei quantas vezes mais o Benfica vai vencer um grupo da Champions".
Acerca do sorteio dos oitavos-de-final, "As equipas mais fortes são o Barcelona e o Real Madrid. É importante saber que no sorteio não podemos calhar com estas equipas. Aquilo que o sorteio ditar vamos enfrentar com a mesma confiança".
Sobre o facto de ser o treinador com mais vitórias europeias, ao serviço do clube da Luz, "É sinal que o Benfica voltou à identidade que tinha nos anos setenta e oitenta. Há 17 ou 18 anos que não vencia um grupo da Liga dos Campeões. É fruto do trabalho que temos desenvolvido".

 

 

Dorinel Muneanu (treinador do Otelul Galati): "Estou muito desiludido, pois devíamos ter saído daqui com um ponto, pelo menos. O jogo não foi fácil, mas jogámos bem. Começámos mal o jogo, mas depois conseguimos empurrar o Benfica e ter algumas oportunidades, mas infelizmente não marcámos. Por isso voltámos a sair sem pontos","Temos uma equipa muito jovem, sem experiência. Não conseguimos contratar jogadores mais experientes. Estou um pouco desiludido, mas apenas pelos primeiros quinze minutos do jogo. Depois não tenho nada a dizer. Faltou experiência","Não me surpreende. Os favoritos eram o Benfica e o Man Utd. É verdade que o Benfica não esteve tão bem em casa, mas conseguiu pontuar fora. O Benfica merece, pois é um clube com muitos adeptos. Tem todas as condições para seguir em frente","É difícil, precisava de jogadores. E para voltar temos de ganhar o campeonato novamente, o que é difícil".

 

publicado por aguiavitoria às 15:56

07
Nov 10

Missão Cumprida

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

 

Ao intervalo: 3-0.

 

Resultado final: 4-3.

 

Marcadores:

 

1-0, por Alan Kardec, 19 minutos.

2-0, por Fábio Coentrão, 31 minutos.

3-0, por Javi Garcia, 42 minutos.

4-0, por Fábio Coentrão, 66 minutos.

4-1, por Yoann Gourcuff, 74 minutos.

4-2, por Bafetimbi Gomis, 85 minutos.

4-3, por Lovren, 90 minutos.

Equipas:

 

Benfica: Roberto, Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Fábio Coentrão, Javi Garcia, Salvio, Carlos Martins (Felipe Menezes, 75), César Peixoto, Saviola (Franco Jara, 70) e Alan Kardec (Weldon, 72).
(Suplentes: Moreira, Sidnei, Airton, Weldon, Franco Jara, Nuno Gomes e Felipe Menezes).

 

Lyon: Hugo Lloris, Anthony Reveillere, Cris, Pape Diakhate (Bafetimbi Gomis, 59), Lovren, Pjanic (Jean Makoun, 70), Gonalons, Yoann Gourcuff, Michel Bastos, Jimmy Briand e Jérémy Pied (Lacazette, 71).
(Suplentes: Rémy Vercoutre, Jean Makoun, Lacazette, Bafetimbi Gomis, Grenier, Kim Kallstrom e Kolodziejczak).

 

Árbitro: Craig Thmpson (ESC)

 

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Pjanic (21), Lovren (23), Luisão (24), Saviola (60) e Roberto (90).

 

 

O Benfica venceu o Olympique Lyonnais por 4-3, em partida relativa à quarta jornada da UEFA Champions League, reavivando as esperanças na qualificação para a fase seguinte, numa noite inspirada por parte do campeão português.

 

 

Sem poder contar com os lesionados Óscar Cardozo e Ruben Amorim - Pablo Aimar foi ausência de última hora -, e Nicolás Gaitán, que ficou de fora devido a castigo, o Benfica entrou a todo o gás mas o Lyon, apostado em contrariar o conjunto da casa em contra-ataque, introduziu a bola na baliza de Roberto aos quatro minutos.  Jimmy Briand encostou para o fundo das redes, mas o lance foi invalidado por fora-de-jogo.

Aos nove minutos, Briand voltou a criar um lance de apuro junto da baliza "encarnada", acabando novamente por introduzir a bola no fundo das redes, com o lance a ser, uma vez mais, anulado por posição irregular. Dois minutos volvidos o Benfica respondeu e Salvio rematou à entrada da área, num lance em que o guarda-redes Hugo Lloris defendeu para canto.

Aos 18 minutos, Fábio Coentrão tentou a sua sorte pelo lado esquerdo, furou a defesa francesa e rematou cruzado, com o esférico a sair por cima da barra. No minuto seguinte, os comandados de Jorge Jesus chegaram mesmo ao golo, por intermédio de Alan Kardec. Carlos Martins bateu um livre do lado esquerdo e o avançado brasileiro saltou mais alto, desferindo um cabeceamento que só parou no fundo da baliza à guarda de Lloris.

Os gauleses, que completaram no Estádio da Luz o jogo 100 na UEFA Champions League, responderam aos 27 minutos, após cruzamento de Anthony Réveillère. Briand tentou o remate acrobático, mas a bola saiu por alto, numa fase em que os homens de Claude Puel tentavam chegar rapidamente ao tento do empate.

Aos 32 minutos foi a vez de o Benfica explorar o contra-ataque, e com resultados práticos. Salvio conduziu o esférico pela zona central, entregou a Carlos Martins, com o médio internacional português a assistir na perfeição Fábio Coentrão, ao segundo poste. O lateral disparou de primeira, de pé esquerdo, tendo assinado um golo de belo efeito.

Galvanizado com o 2-0, o campeão português chegou ao terceiro golo aos 42 minutos, após a marcação de um pontapé de canto. Javi García, à boca da baliza, apontou de cabeça o terceiro tento da noite no Estádio da Luz.

 

 

No segundo tempo, os franceses tentaram naturalmente chegar ao golo, mas o Benfica foi dominando os acontecimentos, com a partida a decrescer de intensidade. Ainda assim, os "encarnados" chegaram ao 4-0 novamente num lance de contra-golpe. À imagem do que sucedeu no segundo golo, Salvio tocou a bola para Carlos Martins, que isolou Fábio Coentrão. À saída de Lloris, o lateral fez um chapéu com conta, peso e medida, em mais um tento de belo recorte.

Aos 75 minutos, o Lyon reduziu a desvantagem por intermédio de Yoann Gourcuff, e Gomis fez o 4-2 aos 85 numa fase de menor concentração "encarnada". O Lyon acabou mesmo por vender cara a derrota, já que fez o 4-3 final já em período de descontos, por intermédio de Dejan Lovren. O Benfica desloca-se a Israel, para defrontar o Hapoel Tel-Aviv FC, na quinta jornada, ao passo que o FC Schalke 04 recebe o Lyon no mesmo dia.

 

 

Carlos Martins: «É uma vitória muito justa. Mostrámos que estamos preparados para seguir em frente. O nosso objectivo é entrar em todos os jogos para tentar ganhar»

 

 

Fábio Coentrão: «Tenho contrato até 2016 com o Benfica e quero cumpri-lo. O objectivo hoje era ganhar e conseguimos. Depois da derrota em França eu disse que o Benfica ia dar a volta por cima e que ia superar esta fase de grupos. A verdade é que já começámos a fazê-lo. Era importante vencermos este jogo e estamos já de olho no próximo (…) Esta vitória dá-nos moral para a Liga dos Campeões. Vamos saboreá-la hoje e só a partir de amanhã começaremos a pensar no jogo no Dragão»

 

Jorge Jesus: «Era uma exibição perfeita. Fizemos substituições no sentido de refrescar a equipa e dar outra velocidade ao jogo, mas isso não aconteceu. Sofremos o 4-1, o 4-2 e, a partir daí, a equipa abanou, ficou intranquila e o Lyon viu que era possível dar a volta ao marcador. Estava desejoso que o jogo acabasse porque o Lyon encontrava-se numa fase muito boa. Mas o mais importante é que tivemos 75 minutos de grande qualidade e conseguimos vencer! (…) Aimar sentiu-se indisposto durante o dia e praticamente não almoçou. Lancei-o na equipa, ele esteve inclusivamente na palestra, mas pouco antes de entrar em campo disse-me que estava muito mal e acabou por vomitar. Claro que não podíamos colocá-lo em campo nestas condições (…) Vamos ao Dragão com a força e com a personalidade que demonstrámos hoje. Trata-se de um jogo diferente, mas o facto de termos sido bem sucedidos hoje dá-nos mais força para ganhar»

 

Alan Kardec: «É sempre bom fazer golos num dia como este e estar num momento bom. E fazer o primeiro golo da partida é também importante. Estou tranquilo, tenho confiança de toda a gente e por isso tenho de manter a cabeça erguida e trabalhar cada vez mais para seguir em frente. Temos agora de manter a tranquilidade e tentar vencer os dois próximos encontros»

 

 

 

publicado por aguiavitoria às 16:13

25
Out 10

Benfica tropeça em França

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio Gerland, em Lyon.

 

Ao intervalo: 1-0.

 

Resultado final: 2-0.

 

Marcadores:

 

1-0, por Jimmy Briand, 21 minutos.

2-0, por Lisandro Lopez, 52 minutos.

 

Equipas:

 

Lyon: Hugo Lloris, Anthony Reveillere, Cris, Pape Diakhate, Cissokho, Yoann Gourcuff (Kim Kallstrom, 71), Gonalons, Pjanic, Jimmy Briand, Lisandro Lopez (Bafetimbi Gomis, 83) e Michel Bastos (Jérémy Pied, 65).
(Suplentes: Rémy Vercoutre, Jean Makoun, Bafetimbi Gomis, Kim Kallstrom, Lovren, Lacazzete e Jérémy Pied).

 

Benfica: Roberto, Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Fábio Coentrão, Javi García, Pablo Aimar (Franco Jara, 71), Carlos Martins (Salvio, 77), Nicólas Gaitán, Saviola (César Peixoto, 57) e Alan Kardec.
(Suplentes: Júlio César, Airton, Salvio, Sidnei, César Peixoto, Weldon e Franco Jara).

 

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (ESP)

 

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Nicolás Gaitán (34), Carlos Martins (37), Anthony Reveillere (41), Nicolás Gaitán (44) e Javi García (68).

Cartão vermelho para Nicolás Gaitán (44).

 

 

O Benfica perdeu 2-0 na visita ao terreno do Lyon, em jogo da terceira jornada do Grupo B da Liga dos Campeões de futebol, complicando o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

 

 

Briand, aos 21 minutos, fez de cabeça o primeiro golo da partida, que ficou sentenciada pelo ex-portista Lisandro López, aos 51. Os dois lances foram precedidos de remates do Lyon ao poste.

Aos 43, Gaitán foi admoestado pela segunda vez com o cartão amarelo e recebeu ordem de expulsão, deixando o Benfica reduzido a dez elementos até ao fim do jogo.

O campeão português ficou numa situação insustentável quando Gaitán foi expulso, aos 43 minutos, por acumulação de cartões amarelos, protagonizando uma segunda parte penosa, durante a qual foi presa fácil para a voraz equipa francesa.

O contestado guarda-redes Roberto foi responsável por o Lyon ter passado ao lado da goleada, mas o Benfica, sem ter comprometido a continuidade na prova, ficou em posição mais fragilizada para se apurar para os oitavos de final.

 


 

 

Jorge Jesus: «Não acho que tenha sido a pior exibição, jogámos contra uma boa equipa. O Lyon jogou quase uma hora contra dez. Até à saída do Nico (Gaitan), havia equilíbrio. O Lyon colocou-se em vantagem numa perda de bola nossa, mas sem vantagem. Depois, foi-nos desgastando fisicamente, é uma equipa experiente e soube trocar a bola. Só conseguimos crescer nos últimos minutos. Tivemos alguns jogadores que normalmente não falham tantos passes na fase de preparação do jogo. Também devido ao pressing do Lyon. Perder por 2 não é o mesmo que perder por 3 ou 4, o apuramento também se faz por golos. Não perdemos a esperança de seguir em frente, as derrotas que temos são fora.»

 

Roberto: «Tive algumas defesas importantes, mas a equipa já estava em desvantagem, com um homem a menos, infelizmente perdemos. O Lyon fez as coisas bem para impedir que o Benfica jogasse ao seu melhor nível. Não fizemos um bom jogo e saímos daqui com um mau resultado. Mas ainda há 12 pontos em disputa e temos muita esperança. Temos de ver o jogo de jogo e aprender com os nossos erros.»

 

Fábio Coentrão: «Foi um jogo menos conseguido pela nossa parte, os jogadores não estiveram tão bem como costumam estar. Um erro foi fatal. Depois, com a expulsão do Nico, tudo ficou mais complicado. Ainda faltam muitos jogos, eu acredito. Não houve ansiedade, houve mérito do Lyon, que nos pressionou na fase de preparação. Neste tipo de jogos, não podemos falhar tanto como falhámos. Perdemos dois jogos, mas fora de casa. Os jogos que perdemos fora, ainda os vamos ter em casa e podemos recuperar.»

 

 

publicado por aguiavitoria às 21:36

30
Set 10

Benfica escorrega na Alemanha

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen.

 

Ao intervalo: 0-0.

 

Resultado final: 2-0.

 

Marcadores:

 

1-0, por Jefferson Farfán, 73 minutos.

2-0, por Klaas Jan Huntelaar , 85 minutos.

 

Equipas:

 

Schalke 04: Manuel Neuer, Atsuto Uchida (Hans Sarpei, 58), Kyriakos Papadopoulos, Christoph Metzelder, Schmitz, Joel Matip, Jefferson Farfán, Jurado (Peer Kluge, 78), Ivan Rakitic (Jones, 78), Raúl e Klaas Jan Huntelaar.
(Suplentes: Schober, Hans Sarpei, Plestan, Edu, Erik Jendrisek, Peer Kluge e Jones).

 

Benfica: Roberto, Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, César Peixoto, Javi Garcia, Carlos Martins, Gaitan (Salvio, 45), Saviola (Pablo Aimar, 63), Cardozo (Alan Kardec, 71) e Fábio Coentrão.
(Suplentes: Moreira, Airton, Salvio, Felipe Menezes, Pablo Aimar, Sidnei e Alan Kardec)

 

Árbitro: Gianluca Rocchi..

 

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Nicolás Gaitán (45), Salvio (49), Javi García (56), Atsuto Uchida (57) e Jefferson Farfán (62).

 

 

O período de recuperação que o Benfica vinha encetando foi travado na Alemanha. Num país onde as águias nunca venceram, um amargo regresso às derrotas (2-0), num jogo em que, em abono da verdade, os encarnados pouco fizeram para evitar afundar. Quinta derrota da época, a primeira na Liga dos Campeões. Segue-se o duplo confronto com um Lyon, 100 por cento vitorioso. Tarefa árdua para os campeões nacionais.

 

Os encarnados não "mataram" o jogo quando podiam - e deveriam - tê-lo feito e acabaram por ser penalizados com os golos de Farfán (73) e Huntelaar (85), ambos conseguidos já na fase final do encontro.

Com a derrota, que mantém a maldição benfiquista em solo alemão nas provas europeias, a equipa treinada por Jorge Jesus cai do 1.º para o 3.º lugar na classificação do Grupo B da Liga dos Campeões.

No outro jogo do grupo, o Hapoel Telavive perdeu em casa, por 1-3, frente ao Ol. Lyon.

 

 

Javi Garcia: Fico triste, a equipa tentou jogar com vivacidade e acho que fizemos uma primeira parte muito boa. O Benfica luta sempre pela vitória, tínhamos a ilusão de conquistar os três pontos, mas temos de sair contentes, pois fizemos 75 minutos muito bons. Mas eles também têm muito boa equipa, jogadores com muita classe como o Raúl ou o Huntelaar. Há que ver o que fizemos de positivo para dar a volta. Hoje falhámos alguns golos, tal como na semana passada. Mas temos um ataque muito bom que pode fazer golos a qualquer momento e creio que a equipa vai dar a volta.

 

Carlos Martins: Sabíamos que seria um jogo difícil, que eles iam jogar no nosso erro e isso comprovou-se, tivemos duas falhas que foram fatais. São momentos do jogo, em que toda a gente falha, não estou a atribuir os golos aos meus companheiros mas à equipa. Mas foi um jogo de grande espírito de equipa e não merecíamos ter saído daqui com uma derrota. Vamos lutar para passar a fase de grupos.

 

Fábio Coentrão: Foi infelicidade nossa, merecíamos outro resultado, mostrámos que temos uma excelente equipa e o Benfica devia ter saído daqui com outro resultado. Temos uma excelente equipa e isso é o mais importante, porque, na próxima partida, frente ao Lyon, vamos mostrar que queremos seguir em frente na Champions. Desde o começo que sabíamos que ia ser uma luta a quatro, temos um grupo complicado, mas temos consciência que temos equipa para seguir em frente.

 

 

Jorge Jesus: O Schalke tem jogadores experientes, sempre à espera do erro do adversário, o que acabou por acontecer. Ao intervalo, sentíamos que podíamos ganhar o jogo, sabíamos que estávamos a jogar com uma boa equipa, entrámos decididos para que pudéssemos ter mais situações de finalização, que não conseguimos na primeira parte, a saída do Cardozo tirou-nos alguma profundidade, mas saímos daqui com a sensação que podíamos ter pontuado.

 

 

publicado por aguiavitoria às 19:01

mais sobre mim
blogs SAPO