17
Abr 11

 

 

O Benfica apurou-se para as meias-finais da Liga Europa, ao empatar (2-2) com o PSV, em Eindhoven. Encarnados perdiam por 0-2 aos 26 minutos. Luisão e Cardozo ditaram o resultado final. Segue-se duelo português com o SC Braga por um lugar na final de Dublin.

 

Os encarnados apresentaram-se no Philips Stadion com vantagem confortável (4-1) construída no Estádio da Luz, e poderiam mesmo ter sentenciado o apuramento nos minutos iniciais da primeira parte, por Gaitán e Saviola.

 

A equipa holandesa contou com o inesperado contributo da defensiva encarnada – foram vários os erros cometidos pelos homens mais recuados e acabou por marcar aos 17 minutos, por intermédio de Dzsudzak.

 

Três minutos volvidos, Salvio, lesionado, foi substituído por Carlos Martins.

 

O golo empolgou o PSV. Apostando na velocidade de Labyad e Lens, os holandeses colocavam os encarnados em constante sobressalto. E seria este último a apontar o segundo golo, aos 26 minutos.

 

As águias tremeram mas não caíram. Luisão foi lá à frente e, já no período de descontos, assinou um grande golo, conseguindo tónico importante antes do intervalo.

 

 

 

 

Depois de uma primeira parte sobressaltada e pautada por algum nervosismo, foi um Benfica personalizado e ciente do que tinha para fazer aquele que subiu ao relvado do Philips Stadion para a etapa complementar.

 

A equipa de Jorge Jesus baixou o ritmo ao jogo e patenteou maior coesão entre os sectores, não consentindo ao PSV os ataques rápidos que tanto perigo criaram na primeira metade.

 

Golo de Cardozo aos 63 minutos, na transformação de uma grande penalidade a castigar derrube sobre César Peixoto, deu expressão à boa prestação dos encarnados e sentenciou a eliminatória. Na frente por 6-3, só um descalabro afastaria as águias da rota da meia-final, onde vão defrontar o SC Braga a 28 de Abril, na Luz, e a 5 de Maio, no Axa.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Philips Stadion, em Eindhoven.

 

Ao intervalo: 2-1.

 

Resultado final: 2-2.

 

Marcadores:

 

1-0, por Dzsudzsak, 17 minutos.

2-0, por Lens, 26 minutos.

2-1, por Luisão, 45 minutos.

2-2, por Óscar Cardozo, 63 minutos (penalty).

 

Equipas:

 

PSV Eindhoven : Andreas Isaksson, Manolev (Nijland, 85), Marcelo (Marcus Berg, 72), Francisco Rodríguez, Tamata (Vukovic, 72), Otman Bakkal, Atiba Hutchinson, Stijn Wuytens, Labyad, Lens e Dzsudzsak.

Suplentes: Cássio, Vukovic, Marzo, Nijland, Dries Wuytens, Marcus Berg e Zeefuik.

 

S.L.Benfica: Roberto, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Fábio Coentrão, Salvio (Carlos Martins, 19), Javi García, César Peixoto, Nicolás Gaitán (Airton, 79), Saviola (Pablo Aimar, 67) e Óscar Cardozo.

Suplentes: Júlio César, Sidnei, Franco Jara, Pablo Aimar, Airton, Carlos Martins e Alan Kardec.

 

Árbitro: Wolfgang Stark (Alemão).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Tamata (7), Dzsudzsak (28) e Marcelo (35).

 

 

Declarações

 

César Peixoto:  “Quero agradecer os elogios à minha exibição, mas o mais importante é a equipa ter passado esta eliminatória. Somos uma formação muito forte psicologicamente e isso viu-se neste jogo, onde a perder por dois golos, levantámos a cabeça, conseguimos empatar e passar para as meias-finais”,“Penso que o futebol português e todos os portugueses estão de parabéns. É seguro que uma equipa nacional estará na final e isso é importante para o nosso futebol ganhar pontos que permita a qualificação de mais um conjunto para a Liga dos Campeões. No que nos compete vamos lutar para continuar em prova."

 

 

 

Carlos Martins:  “Sabíamos que o adversário ia entrar muito forte num estádio que é complicado. Eles entraram melhor, fizeram dois golos, mas nós segurámos o jogo e com um pouco mais de sorte poderíamos ter saído daqui com uma vitória”,  “É de enaltecer o facto de estarem três conjuntos lusos nas meias-finais, um vai estar na final e isso bom para Portugal”,  “Estar 2-0 pesa sempre, mas nós sabíamos que temos valor para dar a volta, foi isso que aconteceu e isso tem de ser enaltecido.”

 

 

Jorge Jesus:  “O Benfica tremeu, mas não caiu. O PSV entrou com uma estratégia de contra golpe, mas fomos uma grande equipa, que acreditou sempre e o golo de Luisão foi determinante para dar tranquilidade à equipa para a segunda parte”, “Quero dar os parabéns às outras formações nacionais. Não é normal na Europa, um país ter três conjuntos nas meias-finais de uma competição e isto é a prova do trabalho que está a ser desenvolvido pelo nosso futebol”,“Confio no meu trabalho e nos meus jogadores. Como tal, acredito que faremos sempre um golo fora de portas. Com a participação na Liga dos Campeões somos hoje uma equipa mais experiente e estamos com todo o mérito nas meias-finais.”

 

publicado por aguiavitoria às 14:19

Os Mandamentos de Jesus - www.wook.pt
Contador
Web Site Hit Counters
stats counter
Globo localizador
Contagem Universal
free counters
mais sobre mim
blogs SAPO