26
Abr 11

 

O Benfica venceu o Paços de Ferreira (2-1), e revalidou o título da Taça da Liga, que os "encarnados" conquistaram pela terceira vez consecutiva.

A equipa de Jorge Jesus vinha de uma desmoralizadora derrota com o FC Porto, que a afastou da final da Taça de Portugal, esperando-se que os jogadores pudessem entrar em cena evidenciando alguma intranquilidade de parte a parte.

Nada mais errado. Os "encarnados" dominaram por completo a 1ª Parte, iniciando a todo o gás o encontro de um Estádio Cidade de Coimbra a registar "casa-cheia".

 

 

Saviola, logo nos minutos iniciais, testou a resistência do poste da baliza de Cássio. Quase como se de um aviso se tratasse, a perseverança defensiva dos pacenses duraria apenas 17'.

Nesse minuto, Coentrão rompeu o lado direito da defesa contrária, levantou a cabeça e vislumbrou Jara. O cruzamento seguiu-se, assim como o cabeceamento certeiro do argentino para o fundo da baliza de Cássio.

Aos 31', as tímidas tentativas dos "castores" estiveram perto de surtir efeitos: grande penalidade a castigar falta de Maxi Pereira sobre Rondón e, na conversão, o falhanço da noite, com Manuel José a permitir a Moreira (novidade da final) a defesa mais importante da noite.

Aos 42', e na sequência de um livre, Luisão serviu de intermediário, assistindo Javi García para o 2-0.

Aos 50', Luisão e o guarda-redes revelaram uma caricata falha de comunicação, com o "capitão" a fazer auto-golo e a fazer ressurgir a esperança "amarela".

O Benfica passou de dominador a dominado num estalar de dedos - insegurança com o golo sofrido? - e o Paços acreditou, até ao fim, que seria possível forçar, pelo menos, a "lotaria" de grandes penalidades.

 

 

Perante a intranquilidade que se fazia sentir na defesa, Jesus recuou nas intenções ofensivas, tirou Saviola e colocou Airton em campo, reforçando o «11» com um maior apoio defensivo.

Foi o suficiente para "estancar" a corrente ofensiva do Paços e garantir a vitória.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio Cidade de Coimbra, em Coimbra.

 

Ao intervalo: 2-0.

 

Resultado final: 2-1.

 

Marcadores:

 

1-0, por Franco Jara, 17 minutos.

2-0, por Javi García, 43 minutos.

2-1, por Luisão (autogolo), 51 minutos.

 

S.L.Benfica: Moreira, Maxi Pereira, Jardel, Luisão, Fábio Coentrão, Javi García, Carlos Martins (César Peixoto, 61), Pablo Aimar (Felipe Menezes, 90), Franco Jara, Saviola (Airton, 68) e Óscar Cardozo. 
Suplentes: Roberto, Alan Kardec, Weldon, Felipe Menezes, César Peixoto, Airton e Sidnei.

 

Paços de Ferreira: Cássio, Wanderson Baiano, Ozéia, Javier Cohene, Maykon, Leonel Olimpio, André Leão (Filipe Anunciação, 79), Manuel José (Caetano, 71), David Simão (Nelson Oliveira, 75), Pizzi e Mario Rondon.
Suplentes: António Filipe, Bura, Nélson Oliveira, Amond, Caetano, Nuno Santos e Filipe Anunciação.

 

Árbitro: Pedro Proença (Lisboa).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Maykon (26), Maxi Pereira (30), Leonel Olimpio (33) e Luisão (49).

 

 

Declarações:

 

Moreira: “Este título é mais um e espero que assim continue. Viemos de uma fase menos boa, mas recuperámos e merecemos levantar esta taça”, “É importante, mas a conquista da Taça da Liga pela terceira vez é mais importante. Penso que a equipa esteve bem e eu limitei-me a fazer o meu trabalho”,“São coisas que acontecem dentro de campo, são muito rápidas. O Manuel José já tinha sido orientado pelo Jorge Jesus e este deu-me as suas indicações, tal como alguns colegas. Isto é mérito de um trabalho diário e a equipa está de parabéns.”

 

 

Roberto: “Na quinta-feira temos um jogo importante e o jogo de hoje vai servir para entrarmos confiantes frente ao Sp. Braga”, “A confiança vai até ao fim e temos de continuar com força, pois ainda temos muitas coisas importantes a fazer”, “Todos trabalhamos e tentamos fazer o melhor possível, e é isso que vou continuar a fazer.”

 

 

Luisão: “Não menosprezámos o adversário e ficamos felizes por termos saído vencedores desta partida”,  “Tivemos um jogo muito exigente há três dias e sabíamos que o Paços ia apostar tudo, mas o importante é que tivemos a humildade suficiente para manter a concentração até ao final”,“Era importante vencer hoje antes do encontro da próxima quinta-feira.”

 

 

Maxi Pereira:  “Julgo que a equipa não esperava facilidades e é natural que o Paços atacasse para a nossa baliza na segunda parte. Na primeira metade fizemos um grande jogo, tivemos muitas oportunidades de golo, mas o mais importante foi ter ganho por 2-1”,  “O mais importante é estarmos bem mentalmente. Agora segue-se esse jogo da meia-final da Liga Europa e queremos vencer porque é um objectivo nosso chegar à final”, “Sabemos que vai ser difícil, porque eles também querem chegar à final. Temos de estar atentos, porque a Liga Europa é o próximo objectivo e queremos ganhá-la”,"Hoje ganhámos um jogo e conquistámos mais uma taça e acredito que no futuro vamos conseguir mais coisas bonitas para o Benfica.”

 

 

Jorge Jesus: “Foi um Benfica que, enquanto teve capacidade física, desenvolveu um futebol dentro da linha daquilo que pretendemos. O Paços de Ferreira foi um adversário difícil e que, mesmo a perder 2-0, acreditou sempre. Nós tínhamos a certeza que a última meia hora de jogo iria ser complicada por causa da partida que tivemos na 4.ª feira. Felizmente acabámos por vencer a taça e isso é muito importante”,  “O Sp. Braga é o próximo adversário de uma competição que também pretendemos vencer. A partir de agora vou começar a preocupar-me com a Liga Europa e em recuperar física e mentalmente a minha equipa”,“Esta conquista foi possível porque o Clube tem uma dimensão enorme, com adeptos que fizeram questão de esgotar o estádio e que nos deram muita força. Como tal, quero agradecer-lhes e dizer que a taça também é deles.”

 

 

 

Depois do Sporting, em 2008/09, e do FC Porto, em 2009/10, seguiu-se o Paços de Ferreira, na presente época, a ser a "vítima" de uma "águia" dominante na Taça da Liga.


24
Abr 11

 

A atleta do Benfica Telma Monteiro sagrou-se vice-campeã europeia na categoria de -57 kg, ao perder com a austríaca Sabrina Filzmoser na final do Campeonato da Europa.

O combate entre as duas atletas foi extremamente equilibrado e acabou com um empate (0-0) no final do tempo estipulado. No ponto de ouro, Telma Monteiro foi quem procurou mais a vitória, no entanto, o trio de juízes decidiu penalizar uma das suas acções, o que ditou a atribuição do triunfo à sua adversária.

 

 

Telma Monteiro: “Na final estava tudo muito equilibrado, estava no ponto de ouro, mas a minha adversária foi mais forte fisicamente e eu acusei algum desgaste físico. Cometi um erro que não devia ter cometido, mas já estava muito cansada”, “Os combates até à final foram muito difíceis e exigiram muito de mim fisicamente, mas felizmente fiz bom judo que era o meu objectivo e também ainda fiz novas técnicas e ganhei combates no chão, que era o meu ponto fraco.”

 

 

Mais uma vez, parabéns Telma Monteiro

publicado por aguiavitoria às 15:50

 

O F.C. Porto venceu o Benfica por 1-3, em jogo relativo à segunda-mão das meias-finais da Taça de Portugal, e apurou-se desta forma para a final da competição, que vai agora disputar com o V. Guimarães. Os azuis e brancos tinham de fazer três golos na Luz, e conseguiram-no.
No fim acabaram por seguir em frente por ter marcado mais golos fora. Curiosamente todos os quatro golos surgiram na segunda parte. O primeiro tempo foi muito mais morno, sendo que só Falcao e Javi, em duas finalizações, ficaram perto de marcar.

 

 

 

Na segunda parte, aí sim, o jogo ganhou emoção. Primeiro, aos 63 minutos, João Moutinho inaugurou o marcador. Num remate de fora da área, o médio bateu Júlio César. Depois disso, e no espaço de onze minutos, o F.C. Porto marcou mais duas vezes: Hulk e Falcao fizeram o 3-0.

 

 

O Benfica, que tinha entrado na segunda parte disposto a defender de todas as formas, colocando dez jogadores atrás da linha da bola, teve de ir para a frente e reagiu rápido, numa falta de Sapunaru sobre Saviola, o árbitro marca penalty que Cardozo concretiza. O jogo ficou louco, mas não mais se alterou.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

 

Ao intervalo: 0-0.

 

Resultado final: 1-3.

 

Marcadores:

 

0-1, por João Muotinho, 63 minutos.

0-2, por Hulk, 71 minutos.

0-3, por Falcao, 74 minutos.

1-3, por Óscar Cardozo (penalty), 79 minutos.

 

S.L.Benfica: Júlio César, Maxi Pereira, Jardel, Luisão, Fábio Coentrão, Javi García (Alan Kardec, 86), Franco Jara (Pablo Aimar, 78), Carlos Martins, César Peixoto (Weldon, 89), Saviola e Óscar Cradozo. 
Suplentes: Roberto, Sidnei, Airton, Felipe Menezes, Pablo Aimar, Weldon e Alan Kardec.

 

F.C.Porto: Beto, Cristian Sapunaru (Sereno, 87), Rolando, Nicolás Otamendi, Alvaro Pereira, Ruben Micael (James Rodríguez, 61), Fernando, João Moutinho, Hulk, Falcao e Cristian Rodríguez (Varela, 75).
Suplentes: Kieszek, Sereno, Souza, James Rodríguez, Mariano González, Varela e Walter.

 

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Alvaro Pereira (17), Maxi Pereira (21), Cristian Rodríguez (30), Falcao (32), Javi Garcia (46), Franco Jara (58), Óscar Cardozo (64), Cristian Sapunaru (79), Fernando (79), Jardel (82), Hulk (84), Beto (90), Rolando (90) e Fábio Coentrão (90).

 

 

Declarações:

 

Jorge Jesus:  “o segundo golo foi determinante para dar mais capacidade emocional à equipa do FC Porto”, “É uma competição que diz muito aos sócios do Benfica e também a mim pessoalmente. Queríamos ganhá-la, mas não conseguimos”, “Há ainda duas provas. Temos uma final já no sábado e temos as meias-finais da Liga Europa.”

 

publicado por aguiavitoria às 15:35

22
Abr 11

 

O Benfica ganhou 2-1 na recepção ao Beira Mar a contar para a 27ª jornada da Liga.
Sidnei, aos 54 minutos, e Jara, aos 71, assinaram a vitória, já depois de Aimar ter visto um golo anulado, ainda antes do intervalo, na sequência de um livre indirecto.

Yartey, ganês cedido pelos encarnados aos aveirenses, reduziu nos descontos.
Num jogo em que Jorge Jesus poupou seis titulares, a pensar na segunda mão da meia-final da Taça de Portugal com o FC Porto, José Luis Fernández teve a oportunidade de estrear-se no campeonato.

 

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

 

Ao intervalo: 0-0.

 

Resultado final: 2-1.

 

Marcadores:

 

1-0, por Sidnei, 54 minutos.

2-0, por Franco Jara, 71 minutos.

3-0, por Yartey, 90 minutos.

 

Equipas:

 

S.L.Benfica: Júlio César, Luís Filipe (Maxi Pereira, 68), Roderick, Sidnei, Carole, Airton, Carlos Martins, Pablo Aimar (Óscar Cardozo, 62), Fernández (César Peixoto, 59), Franco Jara e Alan Kardec.
Suplentes: Moreira, César Peixoto, Jardel, Maxi Pereira, Felipe Menezes, Weldon e Óscar Cardozo.

 

Beira-Mar: Rui Rego, Pedro Moreira, Hugo, Jaime, André Marques, Rui Sampaio (Sérgio Oliveira, 63), Djamal, Renan (Yartey, 76), Leandro Tatu, Wilson Eduardo (Élio, 84)e Artur.
Suplentes: Paes, Yartey, Tiago Barros, Sérgio Oliveira, Élio, Ruben Lima e Ricardo Rocha.

 

Árbitro: Elmano Santos (Madeira).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Carlos Martins (45), Pablo Aimar (45) e Maxi Pereira (90).

 

 

Declarações:

 

Júlio César:  “Acho que foi um triunfo importante. Tanto eu como os meus companheiros demonstrámos que somos um grupo forte e deixámos uma boa imagem, com um bom jogo. Alguns jogadores que estiveram em campo não são sempre titulares, mas mesmo assim demonstraram muita tranquilidade.”

 

 

Raul José (Treinador Adjunto): “Acho que acima de tudo fizemos um bom jogo, tivemos um ritmo mais elevado do que na Figueira da Foz. Podíamos ter saído para o intervalo em vantagem com um golo limpo”, “Aparecemos na segunda parte mais fortes, mais agressivos e fizemos uma segunda parte de bom nível, onde fizemos dois golos e acabámos por merecer os três pontos. “


 

publicado por aguiavitoria às 16:10

20
Abr 11

 

O Benfica conquistou a 13.ª Taça de Portugal do seu historial, ao bater o Sporting de Espinho, por 3-0, na final disputada, no Pavilhão Rota dos Móveis, em Paredes.

A formação encarnada dominou quase sempre os acontecimentos, vencendo com os parciais de 22-25, 18-25 e 19-25.

O Sporting de Espinho deu boa réplica no primeiro set e chegou a estar na frente no último, mas acabou por ceder à mais-valia das águias, que podem, nesta época, garantir a dobradinha, caso vençam o Fonte Bastardo, no play-off inédito do título nacional.

 

 

O treinador da equipa de voleibol do Sport Lisboa e Benfica enalteceu o grupo de trabalho que orienta. Após a conquista da Taça de Portugal frente ao Sp. Espinho, José Jardim afirmou que a equipa vai agora trabalhar para conquistar o campeonato nacional da modalidade.

“É uma grande satisfação, porque há muito trabalho aqui”, "O Sp. Espinho também é uma grande equipa, mas o Benfica foi superior e a partir de agora estamos focados no campeonato nacional”, “Esta vitória dá confiança, mas não podemos embandeirar em arco. É uma vitória que vai dar estabilidade emocional ao grupo, porque não é fácil substituir um passador como o Renan, que é uma peça importante e que jogou sempre".

 

publicado por aguiavitoria às 23:23

18
Abr 11

 

A equipa de Paintball existe desde 2008 no Sport Lisboa e Benfica, sendo constituída por 13 elementos.

O grupo, no entanto, já actua junto desde 2004, sendo campeão nacional desde essa altura.

Com um vasto palmarés, a formação “encarnada” integra o top 16 da Europa, composto por 300 equipas.
Acrescentar ainda que o Benfica é a única equipa amadora a competir na divisão rainha do Campeonato Europeu, a Champions Paintball League.

 

 

A equipa de Paintball do Sport Lisboa e Benfica tem vários objectivos para a presente temporada.
Os encarnados pretendem ser novamente Campeões Regionais de Lisboa e Campeões Nacionais.

Depois do 10.º lugar da temporada anterior, a equipa quer finalizar esta época no “top” cinco do Campeonato Europeu.

 

publicado por aguiavitoria às 15:30

17
Abr 11

 

 O futebolista argentino do Benfica Sálvio sofreu na quinta-feira uma fratura no quinto metatarso do pé direito durante o encontro com o PSV Eindhoven para a Liga Europa.

 

 

O médio argentino lesionou-se na sequência de um lance verificado ainda na primeira parte do embate com os holandeses, que terminou empatado 2-2 e ditou o apuramento do Benfica para as meias-finais da prova, depois do triunfo na primeira mão por 4-1.

Sálvio deslocou-se a um hospital em Eindhoven para realizar um Raios X, tendo sido diagnosticada uma fratura do quinto metatarso do pé direito.

 

 

Rápidas melhoras........pois fazes demasiada falta a este grande clube.......

publicado por aguiavitoria às 16:15

 

 

O Benfica apurou-se para as meias-finais da Liga Europa, ao empatar (2-2) com o PSV, em Eindhoven. Encarnados perdiam por 0-2 aos 26 minutos. Luisão e Cardozo ditaram o resultado final. Segue-se duelo português com o SC Braga por um lugar na final de Dublin.

 

Os encarnados apresentaram-se no Philips Stadion com vantagem confortável (4-1) construída no Estádio da Luz, e poderiam mesmo ter sentenciado o apuramento nos minutos iniciais da primeira parte, por Gaitán e Saviola.

 

A equipa holandesa contou com o inesperado contributo da defensiva encarnada – foram vários os erros cometidos pelos homens mais recuados e acabou por marcar aos 17 minutos, por intermédio de Dzsudzak.

 

Três minutos volvidos, Salvio, lesionado, foi substituído por Carlos Martins.

 

O golo empolgou o PSV. Apostando na velocidade de Labyad e Lens, os holandeses colocavam os encarnados em constante sobressalto. E seria este último a apontar o segundo golo, aos 26 minutos.

 

As águias tremeram mas não caíram. Luisão foi lá à frente e, já no período de descontos, assinou um grande golo, conseguindo tónico importante antes do intervalo.

 

 

 

 

Depois de uma primeira parte sobressaltada e pautada por algum nervosismo, foi um Benfica personalizado e ciente do que tinha para fazer aquele que subiu ao relvado do Philips Stadion para a etapa complementar.

 

A equipa de Jorge Jesus baixou o ritmo ao jogo e patenteou maior coesão entre os sectores, não consentindo ao PSV os ataques rápidos que tanto perigo criaram na primeira metade.

 

Golo de Cardozo aos 63 minutos, na transformação de uma grande penalidade a castigar derrube sobre César Peixoto, deu expressão à boa prestação dos encarnados e sentenciou a eliminatória. Na frente por 6-3, só um descalabro afastaria as águias da rota da meia-final, onde vão defrontar o SC Braga a 28 de Abril, na Luz, e a 5 de Maio, no Axa.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no Philips Stadion, em Eindhoven.

 

Ao intervalo: 2-1.

 

Resultado final: 2-2.

 

Marcadores:

 

1-0, por Dzsudzsak, 17 minutos.

2-0, por Lens, 26 minutos.

2-1, por Luisão, 45 minutos.

2-2, por Óscar Cardozo, 63 minutos (penalty).

 

Equipas:

 

PSV Eindhoven : Andreas Isaksson, Manolev (Nijland, 85), Marcelo (Marcus Berg, 72), Francisco Rodríguez, Tamata (Vukovic, 72), Otman Bakkal, Atiba Hutchinson, Stijn Wuytens, Labyad, Lens e Dzsudzsak.

Suplentes: Cássio, Vukovic, Marzo, Nijland, Dries Wuytens, Marcus Berg e Zeefuik.

 

S.L.Benfica: Roberto, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Fábio Coentrão, Salvio (Carlos Martins, 19), Javi García, César Peixoto, Nicolás Gaitán (Airton, 79), Saviola (Pablo Aimar, 67) e Óscar Cardozo.

Suplentes: Júlio César, Sidnei, Franco Jara, Pablo Aimar, Airton, Carlos Martins e Alan Kardec.

 

Árbitro: Wolfgang Stark (Alemão).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Tamata (7), Dzsudzsak (28) e Marcelo (35).

 

 

Declarações

 

César Peixoto:  “Quero agradecer os elogios à minha exibição, mas o mais importante é a equipa ter passado esta eliminatória. Somos uma formação muito forte psicologicamente e isso viu-se neste jogo, onde a perder por dois golos, levantámos a cabeça, conseguimos empatar e passar para as meias-finais”,“Penso que o futebol português e todos os portugueses estão de parabéns. É seguro que uma equipa nacional estará na final e isso é importante para o nosso futebol ganhar pontos que permita a qualificação de mais um conjunto para a Liga dos Campeões. No que nos compete vamos lutar para continuar em prova."

 

 

 

Carlos Martins:  “Sabíamos que o adversário ia entrar muito forte num estádio que é complicado. Eles entraram melhor, fizeram dois golos, mas nós segurámos o jogo e com um pouco mais de sorte poderíamos ter saído daqui com uma vitória”,  “É de enaltecer o facto de estarem três conjuntos lusos nas meias-finais, um vai estar na final e isso bom para Portugal”,  “Estar 2-0 pesa sempre, mas nós sabíamos que temos valor para dar a volta, foi isso que aconteceu e isso tem de ser enaltecido.”

 

 

Jorge Jesus:  “O Benfica tremeu, mas não caiu. O PSV entrou com uma estratégia de contra golpe, mas fomos uma grande equipa, que acreditou sempre e o golo de Luisão foi determinante para dar tranquilidade à equipa para a segunda parte”, “Quero dar os parabéns às outras formações nacionais. Não é normal na Europa, um país ter três conjuntos nas meias-finais de uma competição e isto é a prova do trabalho que está a ser desenvolvido pelo nosso futebol”,“Confio no meu trabalho e nos meus jogadores. Como tal, acredito que faremos sempre um golo fora de portas. Com a participação na Liga dos Campeões somos hoje uma equipa mais experiente e estamos com todo o mérito nas meias-finais.”

 

publicado por aguiavitoria às 14:19

13
Abr 11

 

Em gestão para a Liga Europa, o Benfica foi derrotado diante da Naval, por 2-1. A equipa da Figueira da Foz continua a sonhar com a manutenção, enquanto os encarnados ficam a 19 pontos do já campeão FC Porto.

 

 

Com o onze completamente diferente do jogo da passada quinta-feira, diante do PSV, a equipa de Jorge Jesus (ficou na bancada devido a castigo de 11 dias) entrou muito mal na partida e viu a Naval adiantar-se no marcador logo aos 22 minutos, por intermédio de Bruno Moraes.

A partir da meia-hora, o Benfica assentou o jogo, também devido a certo encolhimento do adversário, tendo chegado ao empate, por Kardec, num lance em tudo idêntico ao golo do adversário (cruzamento para a área e cabeceamento vitorioso).

 


Na segunda parte, os encarnados lançaram Salvio e Weldon, primeiro, Aimar depois, mas quem marcou foi novamente a Naval, por Marinho, um golo que deixa a equipa da Figueira da Foz a sonhar com a manutenção (soma 23 pontos e está a quatro do V. Setúbal, o primeiro clube acima da linha de água). Já o Benfica, o pensamento virado para a Liga Europa continua a custar pontos (apenas venceu um dos últimos cinco jogos para o campeonato), estando já a 19 pontos do FC Porto.

 

 

Ficha de jogo

 

Jogo no estádio José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.

 

Ao intervalo: 1-1.

 

Resultado final: 2-1.

 

Marcadores:

 

1-0, por Bruno Moraes, 22 minutos.

1-1, por Alan Kardec, 36 minutos.

2-1, por Marinho, 83 minutos.

 

Equipas:

 

Naval 1ºMaio : Romain Salin, Carlitos, Gomis, João Real, Camora, Manuel Curto, Godemeche, Marinho, Edivaldo Bolívia, Michel Simplício (João Pedro, 74) e Bruno Moraes (Hugo Machado, 82).

(Suplentes: Bruno Jorge, Rogério Conceição, Tiago Rosa, Giuliano, Hugo Machado, Previtali e João Pedro.

 

S.L.Benfica: Júlio César, Luís Filipe, Sidnei, Roderick, Carole, Airton, Felipe Menezes (Pablo Aimar, 78), Carlos Martins (Salvio, 66), César Peixoto (Weldon, 66), Alan Kardec e Franco Jara.

(Suplentes: Moreira, Saviola, Weldon, Fernandez, Pablo Aimar, Javi Garcia e Salvio.

 

Árbitro: Bruno Paixão (Setubal).

 

Acção disciplinar:

Cartão amarelo para Franco Jara (26), Luís Filipe (67) e Camora (87).

 

 

Declarações

 

Alan Kardec: “Tive a oportunidade de marcar um golo para ajudar a equipa, todos os jogadores correram e batalharam e como jogamos num dos melhores Clubes do Mundo há sempre motivação. Entramos em todas as partidas para vencer e hoje infelizmente não conseguimos. Temos de manter a cabeça erguida, porque temos jogos importantes pela frente”,“Todos trabalhamos diariamente para aproveitar as oportunidades e elas aparecem, como foi hoje o caso. Temos de manter a seriedade, porque ainda há três frentes para vencer e para atingirmos os nossos objectivos.”

 

 

Raul José (Treinador Adjunto): “Não esperava perder na Figueira e acho que o Benfica teve oportunidades para vencer, só que a Naval acabou por ser feliz no final do jogo”, “Alguns destes jogadores não têm minutos suficientes para estarem o jogo todo a um nível alto, mas fizeram o suficiente para sairmos daqui com uma vitória”, “A posição está definida, mas vamos motivar sempre a equipa para ganhar todos os jogos, porque numa equipa como o Benfica os jogos são todos para ganhar.”

 

 

 

publicado por aguiavitoria às 14:18

12
Abr 11

 

As Campeãs Nacionais de Raguêbi venceram a Taça de Portugal, ao baterem a formação do Técnico, por 21-5. Depois da Supertaça e do Campeonato Nacional, as benfiquistas fizeram agora a “dobradinha”.

 

 

Jogadoras e treinador não esconderam a satisfação por mais um objectivo cumprido, mas preferem guardar os festejos para depois, uma vez que já pensam no desafio que se segue.

 

 

“A vitória foi clara e merecida. Tínhamos a lição bem estudada e houve uma grande entrega de todas as jogadoras. Hoje, mais do que tudo, fomos equipa e é isso que faz o Râguebi”, disse a capitã Catarina Ferreira. “Depois da Supertaça, Campeonato e Taça de Portugal, agora vêm os Sevens e já estamos concentradas nesse próximo objectivo”, concluiu.

 

 

 

Parabéns às nossas meninas...

publicado por aguiavitoria às 23:42

Os Mandamentos de Jesus - www.wook.pt
Contador
Web Site Hit Counters
stats counter
Globo localizador
Contagem Universal
free counters
mais sobre mim
blogs SAPO